Avaliação de ensino de leitura em universitários

Carmen Lúcia Hussein
 

Introdução
O objetivo do presente estudo é fornecer alguma contribuição para o conhecimento de remediação de leitura com estudantes universitários, na medida que DURAN (1981), SANTOS (1989) e WRITTER (1997) constataram em nosso meio a inabilidade de universitários para compreender a informação lida. Além disso, encontra-se na literatura a carência de pesquisas sobre as variáveis que controlam o ensino de leitura crítica e criativa com universitários e instrumentos de mensuração e a relação destes com outros comportamentos acadêmicos. Finalmente, pretende-se estudar algumas técnicas que sejam suficientemente simples para serem usadas na sala de aula pelo professor e que utilizem meios e recursos que estejam disponíveis em nosso meio.

Na literatura sobre o comportamento do professor e o processo de ensino-aprendizagem do comportamento textual crítico e criativo, um aspecto bastante enfatizado é o uso de questões pelo docente (WOLF, KING E HUCK, 1968). Outro aspecto sugerido para o ensino de leitura crítica e criativa é o uso de atividades que permitem a apresentação para uma audiência do trabalho realizado pelo leitor, assim como o levam a comparar e a contrastar diferentes pontos de vista (DeBOER, 1964; HARVINSON, 1967 e BOYAN, 1972). Nesse sentido, HUSSEIN (1982) usando alunos da 5ª série constatou que o uso pela professora de determinadas questões orais combinado com a audiência fornecida pelos colegas e professora da classe levou à produção de criticidade e criatividade textual nos grupos que receberam esse treino em relação a outros grupos que passaram por outras modalidades de treino.

O estudo acima parece apoiar o uso do modelo de análise funcional do comportamento verbal para treino de leitura crítica e criativa, mostrando a relevância dos sD antecedentes (questões) e do reforçamento social (dos alunos e da professora) liberados pela audiência no desenvolvimento e manutenção desses comportamentos. Através do uso de questões, com estudantes universitários, SAMPAIO (1983) submeteu os sujeitos a um treino de leitura criativa de relatos de pesquisa. A autora constatou que o procedimento utilizado foi eficiente no desenvolvimento desse comportamento e também houve generalização do treino de Criatividade para Criticidade. No presente trabalho, a leitura crítica é definida como a habilidade do estudante universitário em verificar se as informações contidas no texto estão baseadas em fatos ou em opiniões do autor, mantendo o nível de adequação ao contesto de leitura. Ainda, a leitura Criativa é definida como aquela habilidade que vai além do texto, propondo base de relações com outros textos, e com a vida do próprio sujeito, bem como soluções e proposições diversas, quer em apoio ao autor quer dele se diferenciando em nível de oposição, porém mantendo o nível de adequação da resposta.

Apesar das habilidades mais complexas de leitura não enfatizadas pelos educadores, pode-se concluir que são escassas as pesquisas com universitários nessa área. Também pode-se dizer que são necessários estudos que possam dar algum esclarecimento quanto ao treino dessas habilidades em sala de aula e que possam explicar melhor o efeito do uso de questões e da ciência do desempenho sobre esses comportamentos nos universitários.

Resumo
O objetivo deste trabalho foi testar a eficiência do procedimento de treino em leitura crítica e leitura criativa. Ainda foi o de verificar a generalização do treino de leitura crítica para motivação, compreensão e leitura criativa. Também foi verificado a generalização do treino de leitura criativa para motivação, compreensão leitura crítica. Os dados obtidos demonstraram a eficiência dos treinos oferecidos. Quanto à generalização, pode-se dizer que o grupo submetido ao treino de criticidade conduziu a produção de criatividade textual. Todavia, o procedimento de treino de criatividade textual não afetou o comportamento de criticidade textual. Finalmente, pode-se concluir que a variável modalidade de treino não controlou a produção dos comportamentos de compreensão e motivação de leitura. Palavras-chave: Aprendizagem Verbal, Aprendizagem da Leitura, Leitura e Desenvolvimento.