A natureza da poesia
Serão apresentadas neste item algumas concepções de teorias psicológicas e as considerações de alguns autores a respeito da natureza da poesia.Assim, Jung(1987) salientou que seria uma ilusão do consciente a convicção do poeta de estar criando com liberdade absoluta. A verdadeira obra de arte tem um sentido especial no fato de poder libertar o escritor das estreitezas e dificuldades insuperáveis de tudo o que seja pessoal elevando-o para além do efêmero.

Já Wescott ( 1968) concebeu a intuição gestativa ao referi-la como uma reestruturação do campo perceptivo, em que o aluno percebe repentinamente novas possibilidades de ação que o levam a solução. Ele considera a intuição como uma forma de comportamento inferencial definindo-a como o fato do individuo chegar a uma solução utilizando-se de menos informações necessárias.

Vygotsky( 1987) afirmou que há o interesse na noção de linguagem privada como um tipo de locução dirigida e regulada pelo autoconceito quando os alunos se deparam com os desafios. O autor afirmou que os aprendizes têm a linguagem interior que expressa as estruturas estabelecidas da linguagem. . E acrescentou que a natureza da composição poética oferece as crianças a habilidade de brincar com a linguagem que têm significados próprios. Considerou que as concepções da escrita da poesia é como um processo criativo no qual o trabalho imaginativo ou brincar é complementado pela razão.

Deve- se acrescentar que o poeta Ferreira Gullar (2008) define que “A poesia é um difícil ofício de expressar a vida, naquilo que ela tem de belo e dramático”, Ainda, o escritor Cipro Neto (2008)“ diz: que” os poetas são seres enviados por Deus para traduzirem a alma humana”. Portanto, parece que o primeiro autor enfatizou a inspiração dos poetas, que se dá através da experiência e vivência da pessoa quanto aos seus dramas, as questões culturais e ao meio. Já o segundo achou relevante para a criação expressar aspectos religiosos e psicológicos.

Várias concepções sobre a poesia foram sugeridas pela escritora Hughes (2006) que realizou um estudo baseado em entrevistas de proeminentes poetas contemporâneos canadenses para explorar a natureza da poesia e percebeu que a natureza dela é variada usando uma nova mídia para isto.

A autora citou definições de vários autores como: a de Smith,(1977) que a poesia é altamente organizada, complexa e que o poema é a recriação unificada da experiência em que há o máximo de significado e sons com o mínimo de palavras. A escritora propôs a definição de Hirshfield (1997) que considera a poesia como a clarificação do ser e que ela., expressa a musicalidade nas palavras e traz modos diferentes de conhecimento quer na compreensão de si mesmo como também para a existência de modo geral. Também a autora apresentou a definição de Bringhrs, (2002) que considera a poesia como o pensamento real e que conceitua o pensamento real como poesia.

A pesquisadora acima também definiu a poesia conforme o dicionário que a escrita de uma tarefa imaginativa está baseada nas experiências expressas em linguagem e comemorações, significados, sons e ritmos. Outro dicionário a definiu como expressão elevada de pensamentos elevados ou sentimentos em forma métrica ou rítmica. Outro dicionário a conceituou como uma forma de arte que usa a linguagem verbal Os poetas usam a beleza na expressão de sua linguagem e palavras com mensagens cheias de sentimentos poéticos.

Hughes (2006 ) disse que não houve concordância das avaliações destes quatro poetas sobre qual seria a natureza da poesia. Alguns estudiosos sugeriram que os poetas eram visionários enquanto outros indicaram que o papel deles seria observar e identificar as verdades fundamentais e alguns focalizaram mais a poesia como a expressão pessoal e outros enfatizaram a forma , assim como alguns deles apontaram o conteúdo e existiram aqueles que indicaram o papel dela de mostrar as experiências vividas pelo poeta.

As poesias podem ter temáticas diversificadas como o amor, a perda, o luto, a saudade e serem meditativas, religiosas, critico-sociais e natureza e etc. que o poeta pode expressar a poesia de modo lírico sendo que ela pode mostrar as emoções, os sentimentos, os valores e visões de si mesmo e da vida que o poeta possui. Também pode tratar da fragilidade humana, da finitude da vida, do efêmero e da eternidade. As poesias meditativas realizam reflexões sobre a existência e o seu sentido.Elas ainda podem expressar temas profundos e existenciais que tratam das incertezas e dramas da vida e que podem mostrar uma filosofia subjacente no poema criado pelo poeta ou da sua obra.(Hussein,2013).

Foi considerado por Hughes (2006) que o bom poema poderia mudar a percepção do leitor sobre o mundo e que incentivaria o leitor a olhar outra vez o texto e ainda a reconsiderar a sua concepção dele. O autor afirmou assim que todos os quatro poetas do estudo realizado sugeriram que um poema seria bem sucedido quando conseguir alterar a percepção do leitor sobre si mesmo e a vida.

Uma qualidade poética importante apontada pelos poetas e críticos literários sobre a poesia é a estética ou a beleza do poema. Desse modo, o poeta Carlos Drummond de Andrade (1992) enfatiza a beleza expressa na poesia quando reflete sobre ela, ao afirmar acreditar com o mesmo fervor na beleza da palavra e no texto elaborado com arte. Assim, ele considerou que aprendeu a gostar da literatura através do entusiasmo que o poema provoca no leitor quando ele se depara com o texto bem escrito.

Dewey(1933) identificou a imaginação como um modo de expressar a experiência estética .Ele falou que as experiências de vida interior profunda levam o leitor a expressar os sentimentos de beleza. a vida interior e o mundo. A beleza é para ele uma áurea de fantasia e emoções que expressam a vida interior , o mundo ,o espírito, uma coisa, um lugar e uma pessoa. É importante para os alunos o conhecimento poético que expresse a aprendizagem da beleza.

Pode-se concluir sobre a importância de ter opiniões variadas sobre a natureza da poesia para obter-se uma melhor compreensão da sua complexidade e da pouca clareza de suas definições. Portanto pode-se apontar que o ensino do professor de leitura e escrita de poesia dos alunos deve ser uma tarefa difícil.

Referências Bibliográficas
Bampi M. L. F. (1995). Efeitos de um Programa para desenvolvimento da criatividade na escrita. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas.
Bragotto, D. (1994). Programa Experimental para o Desenvolvimento da Expressão Poética em Adolescentes. Dissertação de Mestrado. Pontifícia Universidade Católica de Campinas, Campinas.
Condemarin, M. e Chadwick, M. (1987). A escrita criativa e formal. Porto Alegre: Artes
Hussein, C. L. (2008). Leitura Crítica e Leitura Criativa: Ensino e Aprendizagem. Rio de Janeiro: CBJE.
Hussein(2017) Reflexões sobre a criatividade aobre o ensino de redação de poesia para escolares. Será publicado na Revista de Psicopedagogia em julho de 2017