Procedimentos importantes para o treino da escrita de poesia nos escolares
Os alunos necessitam de um ambiente favorável para o desenvolvimento de escrita de redação de poesia. Cabe a família e a escola estimular neste comportamento. Assim, deve-se ensinar o educando o valor da palavra e favorecer a expressão dos sentimentos e ideias para o desenvolvimento da imaginação e iniciativas pessoais que facilitam o encontro consigo mesmo e os outros.

O professor parece sempre ocupado em avaliar os alunos , dar as notas para eles, com a disciplina e os planos de aula. A atitude profissional e a personalidade do professor parecem interferir assim como facilitar ou dificultar o processo criativo.(Torrance,1976).

O estudo de Akers (1995) apresentado a seguir teve como objetivo verificar se houve relação da criatividade com o ensino de redação de poesia para escolares . Neste sentido, pretendeu-se no estudo de Akers (1995) obter uma compreensão qualitativa dos processos da escrita divergente na escrita de poesias. Assim, através de entrevistas com poetas experientes de docência e com publicações encontraram como conclusões qualitativas que os processos criativos estão associados com a escrita de poesia. .E ele fez uma descrição dos processos cognitivos e afetivos que estão associados a escrita de poesia. Xerri (2013) encontrou os mesmos dado dos estudiosos acima que houve melhoria da motivação dos alunos escolares para de poemas

Nesta direção, Cheng; Wang; Ling; e Chen (2010) fizeram uma pesquisa que usou o pré-teste e o pós- teste num plano quase -experimental com o objetivo de avaliar o efeito das instruções de associação sobre a criatividade de poesia Uma classe foi distribuída no G.E. (T-34) e a outra para o G.C. (T-30.) .GE recebeu instruções de 30 minutos para formar as associações sendo que após este ensino cada estudante formou um verso livre em língua chinesa no prazo de 5 semanas. G.C recebeu a leitura tradicional antes de compor os versos livres chineses. GE mostrou maior criatividade do que o GC sendo que ele não passou poelo treino desta habilidade.

A leitura de literatura é importante para os estudantes desenvolverem o ensino e aprendizagem da escrita de poesia .E que a leitura de poesia e de estórias são os pré-requisitos para o ensino desta escrita e que podem ajuda-los a obterem a familiaridade e as informações que podem conduzir a criação de poesia sendo que ela é o gênero mais popular usado quando as crianças necessitam de hábitos de leitura. (Xerri. 2013)..

A seguir foram propostas por Sak(2004) que existem três aspectos do comportamento do professor que podem influenciar o ensino de pensamento criativo na sala de aula. O primeiro aspecto é o professor ser um modelo para que os alunos se desenvolverem. O segundo aspecto é a atmosfera em sala de aula criada pelo professor que conduzisse o processo de criatividade . O terceiro aspecto apontado é o esforço do professor em recompensar e dar o feedback para as atividades instrucionais .Estes três aspectos podem refletir na personalidade do aluno como a abertura intelectual do processo criativo dos escolares e os pré-requisitos do conhecimento que são necessários para o ensino da escrita de poesia pelo professor quanto ao ensino da escrita de poesia

O autor acima falou quanto ao primeiro aspecto que o professor ao ensinar a escrita de poesia deve usar o processo de modelação para apoiar o desenvolvimento da expressão poética. Assim a criança ouve o poema lido por um modelo sendo que ele usualmente é feito pelo professor. Então os estudantes leem o que podem inicialmente e através de leitura repetida e mais a modelação do professor eles aprendem novas palavras,, conceitos e assim há o crescimento de sua linguagem .

Foi apontado por Sak (2004) que na atmosfera em sala de aula o professor pode incentivar a criatividade. E que ele pode promover este processo de usar um ambiente de aprendizagem e criar uma atmosfera de liberdade, descoberta, independência, e pensamento de alto nível nos alunos. E o mestre deve também estimular nos alunos a liberdade para escreverem poesias, crônicas ,contos, ensaios, biografias e relatos de pesquisa..

O estudioso acima diz que os alunos devem trabalhar de modo independente nos seus projetos individuais que devem procurar as informações nos livros ,livrarias e na Internet. Deste modo, eles podem avaliar as suas próprias ideias ou de outros quando trabalharem juntos ou se ajudarem um ao outro no projeto a ser realizado. Em sala de aula não pode haver tempo limite e os alunos não podem receber o grau de avaliação no final do poema escrito. E assim a tarefa de ensino tem de ser independente com poucas tarefas prescritas e menos estruturadas sendo que o professor tem de ser o facilitador da aprendizagem na classe de aula.

O terceiro aspecto proposto por Sak (2004) como processo criativo de escrita é que o professor deve de dar o feedback ao aprendiz que realizou a poesia O aluno deve procurar a opinião e os conselhos da obra feita com amigos, parentes, colegas e professores. Na fase de publicação da poesia elaborada pelo aluno o mestre deve divulga-la em antologias ou boletins e ainda no website da classe. Também o professor deve organizar cafés na classe ou na comunidade escolar para festejar a criação poética.

Hughes (2006) afirmou que o processo de criatividade leva os escolares a descobrir através da leitura de textos a obtenção reflexões críticas que os encorajam a se moverem além do nível baixo de pensamento como a lembrança e a compreensão para o pensamento de alto nível como a síntese, a avaliação, a interpretação e o julgamento que os levam a serem ativos na sua aprendizagem cooperativa que é acompanhada do inquirir, descobrir e de ter reflexões intensas.

Assim, Bloom ( 1997) sugeriu que o questionamento em sala de aula é amplamente literal que usam processos cognitivos de baixo nível. Estes níveis inferiores representaram a introdução ou estágio básico de aprendizagem. Em contraste estão as questões divergentes ou que usam os processos cognitivos de alto nível que solicitam do estudante criar uma resposta ou apoia-la em evidências de raciocínio Assim, as questões divergentes encontram-se no nível 5 (Análise) que incluem integrar, organizar, compor, planejar, predizer e criar. E também no nível 6 (Avaliação) que envolvem escolher, avaliar, defender, disputar, julgar, apoiar e que representam a mais alta ordem, que é a mais sofisticada das habilidades de pensamento crítico.

O ator acima afirmou que o uso de questões divergentes poderiam levar os alunos a fazerem reflexões sobre um tema, que é central no processo de aprendizagem porque os permitiriam a desenvolverem sentimento, valorização e percepção de si mesmo. Assim, os estudantes poderiam elaborar reflexões de um tópico que criariam percepções que os capacitariam a sintetizar e a explicar dado tema. E que a escrita de poesia pode permitir os estudantes a serem livres na exploração de tópicos interessantes ao invés de constrange-los com questões literais de natureza restrita ..

A leitura crítica e criativa e as suas respetivas redações permite o estudante a ler e a escrever de maneira crítica e criativa. E que há a interdependência destas habilidades para a aquisição da poesia que deve ser considerada nas reflexões ocorridas anteriormente da criação poética.(Xerri,2006)..

Serão apresentadas algumas sugestões para o ensino e arendizagemram feitas sugestões, conselhos e recomendações sobre o ensino e aprendizagem da escrita poética para escolares por alguns autores que foram apresentadas a seguir. Neste sentido, Perry (2006) deu orientações em relação ao ensino de poesia sendo que esta autora propôs a seguinte sequenciarão de atividades como: 1) O professor deve começar com a leitura oral do poema; 2) O professor deve fornecer aos alunos oportunidades de falarem sobre as suas experiências, lerem o poema e atuarem em uma variedade de formas;3) O mestre deve começar a avaliação do significado do poema formulando questões sobre o que sente , como mudar a percepção de si mesmo e seus sentimentos.4) O aluno deve discutir o poema com a classe ou grupos pequenos ;5) O professor deve interagir com o poema de formas variadas, como por exemplo: usar o drama, atividades escritas , coral falado, improvisar brincadeiras e outro; 6) Nesse ponto o estudante ao ler a sua poesia realiza uma conclusão sobre ela

O mestre deve aumentar a antecipação e expectativa no sentido de preparação para a aprendizagem, criando-se o desejo de aprender e aumentando a curiosidade dos alunos;2) Estágio 2 – Ele deve aprofundar as expectativas e o conhecimento sendo que aumentaria a preocupação do aluno com o problema;3) Estágio 3 – O mestre deve oferecer para que ocorra o pensamento criativo amplas oportunidades de informações que não sejam absolutas, fechadas, mas que apresentem várias ´possibilidades divergentes

O uso de poesia na pesquisa feita por Bragotto(1994) possibilita o ensino desta habilidade.Assim, ela considera o uso de poesia como uma forma de enriquecimento do currículo ao utiliza-lo para inspirar respostas poéticas. Neste sentido, esta autora também confirma a sua utilização como meio de elevar a criatividade e a motivação no estudo de português por adolescentes. As propostas de trabalho com o uso de poesia são formas de iniciar um trabalho de escrita criativa que os estudantes gostam muito. Assim o poema poderia tocar nos sentimentos e, sendo assim, seria uma estratégia para pensar sobre os seus próprios sentimentos, e que levaria a gerar ideias que poderiam ser expressas na escrita de poemas.

Assim, pode-se concluir que as questões divergentes podem ser usadas na leitura critica e criativa e suas respectivas redações para a o incentivo de expressão poética. Desse modo, os estudos acima podem usar na fase inicial, estas estratégias para estimular a redação poética seguida por uma fase posterior de ensino de redação de poesia tanto na sua expressão poética como no seu conteúdo. Evidenciou-se que o uso inicial destas estratégias facilitou a a aquisição dela.

Portanto, pode-se concluir através deste estudo feito por Hussein(2017) que houve pouca poesia em casa e na escola ,que os professores não conhecem como ensinar e a natureza dela, que a pratica dos professores para o treino de poesia não está baseada em pesquisas ,que há evidências que apoiam a eficácia do seu ensino quanto a forma e não ao conteúdo sendo que porem o seu ensino beneficia os alunos E que foram achados poucos estudos sendo que houve o predomínio de teóricos do que os de campo e que houve carência de pesquisas neste tema o que sugere a necessidade de trabalhos posteriores sobre este tema.

Bibliografia
  • Carmen Lúcia Hussein- Sua obra poética publicada pela Shan Editores e CBJE, de 2006 a 2013.
  • Cipro Neto- crônica publicada na Folha de São Paulo em 2010.
  • Drummond Andrade, Carlos-“Antologia Poética”,1997.
  • Ferreira Gullar-“Toda poesia “.José Olympio Editora.: 2010.
  • Gioconda Labecca,” Sonetos”, São Paulo: Edição do autor, 2003.
  • Rilke,R.M- “Cartas de um Jovem poeta”,2011.
  • Rilke, R. M.-“ A melodia das coisas: contos, ensaios, cartas”. São Paulo: Estação Liberdade.
  • Scherer, Mario- Prefácio da “ Antologia Brasileira Poética”..Shan Editores: 1998.
  •