Poesias


Passagens de Vida - RJ : CBJE - 2008


A mala velha
Procuro na mala velha
Que está no sótão
O amor
A saudade
A felicidade
A flor que não murcha
O seu retrato
As velhas cartas de amor
Os velhos poemas de amor
Procuro uma canção na velha mala
Que está no sótão.


Apenas
Basta a sua existência
Não preciso tê-lo
Basta a sua lembrança
As suas palavras
E boas atitudes
Para eu ser feliz
Ter esperança na vida
E energia para prosseguir
Amenizar a saudade
E dar rumo
E norte ao meu existir
Basta a sua existência
Não preciso tê-lo
Basta a sua lembrança
De momentos breves de felicidade
Para eu ser feliz!


Tempo presente
Que tempo são os de hoje?
Cheios de guerra
Ódio
Violência
Competição
Individualismo
Sem espaço para o amor
E as pessoas não sabem amar
Serem cooperativas
Fraternas
E solidárias
Que tempos são os de hoje
Que as pessoas não aprendem a amar?



Retratos - RJ : CBJE - 2010


Oração
Deus
Preciso da sua luz
Para iluminar minha estrada
Preciso do seu amor
Para ser amado
E poder amar
Preciso crescer no meu amor
Para ser
E encontrar
O meu caminho
Preciso da sua força
Para achar a bondade
A verdade
E a beleza na vida
Num mundo tão desumano
E cheio de caos
Já que o amor humano
É tão finito
E limitado.


Eternidade
Os que se amam
Não se separam
Estão ligados pelo amor
Pela afinidade da alma
Pelo pensamento
Pelos interesses
E pelo respeito às diferenças na forma de ser
Os que se amam
Não se separam
Estão ligados pelo amor
Na vida
Mesmo com a distância
No espaço e no tempo
Estão entrelaçadas suas almas
Os que se amam
Não se separam
Estão ligados pelo amor
Não é só o corpo
Que está próximo e unido
No espaço e no tempo
Estão ligados pelo amor
Os que se amam
Não se separam
Estão ligados pelo amor
Não há passado, nem presente nem futuro
É a eternidade no tempo
Estão ligados pelo amor
Infinito e eterno.


Trivialidade
Multidão solitária
Gente que fala
Sem dizer nada
Silêncio
Homem medíocre
Sociedade de massa
Violência
Relações impessoais
Relações superficiais
Pessoas que ouvem
Sem escutar nada
Massificação
Agressão
Relações paralelas
Relações de objeto
Relações de interesse
Multidão solitária
Silêncio
Pessoas que falam
E não dizem nada.



Ressonância - RJ : CBJE - 2010


A beleza
Rezo quando contemplo a beleza
Vejo Deus na beleza
Da música
Da poesia
Da verdade na ciência
Das boas atitudes
Do amor
No sorriso de uma criança
E no canto do sabiá nas árvores
A beleza está além das palavras
Que se transformam em poesia
E em música
A vida toda não seria uma busca da beleza
No meio do caos sem sentido?


Todo momento
Quisera orar
Uma oração profunda para você
Eu o tenho no meu pensamento
E no meu sentir
Todo dia e noite
Você está no meu coração
Em todo memento
Onde quer que eu vá
Eu o tenho no meu sentimento
Ter você comigo
Apesar da sua ausência
É a eternidade do amor
Temos almas entrelaçadas
E nos deparamos com o absoluto
A minha poesia é uma oração.


O operário
Ele erguia casas aqui
Apartamentos lá
Igrejas, etc.
Onde havia apenas chão
Operário
Trabalho árduo
Com pá e com cimento
Com suor e com cimento
Constrói
Põe tijolo sobre tijolo
Pinta a casa
Trabalha com dedicação
E empenho
Faz-se um grande silêncio
Dentro do seu coração
E um sorriso ilumina a sua face
A imagem de seus filhos pequenos e família
Que dão energia e força
Para esse trabalho árduo.



Contemplação - RJ : CBJE - 2010


O mistério
Tenho um sonho
E uma estrela para alcançar!
Que me ajudam a lidar com a vida
E com a imaginação e a fantasia
Tenho o divino
Para lidar com os mistérios
E a adversidade
Se enxergar o mistério
Posso aceitar o futuro
Mesmo que seja incerto
Sei que é a hora certa para mim
Acreditar no mistério divino
E ver algo de bom em tudo na vida
Tenho uma estrela para alcançar!


A felicidade
A felicidade está na beleza
Do céu enluarado e estrelado
Do canto do sabiá
Da flor colorida
Do sorriso de uma criança
Do sonho de amor e seu perfume
Do encanto de dar amor
E ajudar o outro
De ler uma poesia
E da singeleza de criar um poema
De estar com você
E do seu jeito denso e alegre de ser.


Apesar do tempo passar
Há coisas essenciais que permanecem na minha alma
Apesar do tempo passar
O seu afeto
O seu carinho
As suas palavras preciosas
Você pode confiar nestas recordações
E se lembrar delas
Não importa o que houver no futuro
Em face da adversidade
A saudade
E a dor
As lembranças continuam no meu sentir
Apesar do tempo passar.



Reminiscências / O Relógio e o Tempo - RJ : CBJE - 2010


Vida plena
A pessoa que ama
E tem sabedoria
Alcança o cerne da vida
Vive de uma maneira plena
Transcende a realidade fria e banal
Sai do rotineiro
Trivial
E desumano
A realidade é vista de um modo emocional
Intelectual
Espiritual
E humano
O que ajuda a mudar a si
O outro
E a vida
E transcende a dimensão do real.


A vida íntima
A segunda vida
Vida secreta
Vida íntima
A vida secreta é inesgotável
Por outro lado a vida social
E a burguesia é superficial
É visível demais
Vê-se o final de modo claro
Todos os atos levam até lá
Parece loucura!
O tempo devora a vida superficial
A vida secreta e íntima é inesgotável
Sentimento inefável ao seu lado
O que tenho agora ao seu lado
Bem-aventurança!


Dádiva
Eu não o perdi
Desde que nos separamos
Eu o tenho no meu pensamento
Nos meus sentimentos
Nas lembranças
Nas minhas orações
E nas minhas poesias
Eu não o perdi
Eu o tenho no meu sentir.


Ser atomizado
Homem moderno
Ser pulverizado
Quase desumanizado
Pouco espiritualizado
Carente de poesia
E sentido de vida
Homem moderno
Homem consumo
Fruto de propaganda
E dos meios de comunicação
Restrito na visão de mundo
No espírito critico
E imaginação
Homem moderno
Ser atomizado.


Entre
Eis que a vida não é mais vã
Nem triste
Nem solitária
Entre a natureza
Os animais
E os pássaros
Entre o plantar
E o regar uma planta
Sob a sombra de uma árvore frondosa
Entre a luz do Sol
A beleza do amanhecer
E do crepúsculo
Eis que a vida não é mais vã.


Tempo subjetivo
O relógio bate
O tempo passa
O relógio bate
Tempo cronometrado
O tempo anda
Fluxo de consciência
Dos meus sentimentos
Tenho sempre todo o dia você
Na minha alma
E no meu pensamento
Fluxo de consciência
Consciência moral
Tempo psicológico
Tempo subjetivo
Tempo de amor.



As palavras escolhidas - RJ : CBJE - 2012


A plenitude
Alcancei a plenitude
A realização
O lutar pelos meus ideais
Com a sua companhia
Aprendi com você
Valores preciosos e eternos
A simplicidade
A amar
E a viver
E obter a paz interior.


A luz que traz a felicidade
Você me deu fé
Quando estava na desesperança
Você me deu a luz
No meio da escuridão
Você me deu a felicidade
Diante da tristeza
Você me deu sentido de vida
Quando estava sem norte
Você me deu a verdade
No meio das crenças e falsidades
Você me deu outra vez a alegria no viver.


A vida atual
A vida atual é fragmentada
Tem o desejo do dinheiro
O cotidiano violento
O instante imediato
Tem o impulso do consumo
Do individualismo
O culto do prazer
E do corpo
O ser espiritual ausente
A ênfase no ter
E na alienação.



Caminhos - RJ : CBJE - 2012


Caminhos
Precisa saber esperar
E preparar
O caminho da primavera
Espere pelo milagre
Pelo crescimento
Pela melhoria da relação
E da pessoa
É preciso saber esperar
Para colher a sabedoria
E o amadurecimento
Precisa saber ver o milagre
E esperá-lo.


Sentido
Você se foi
Você partiu
Não há um dia seu
Todo dia é seu
Sinto você nas minhas lembranças
Eu o tenho
Nas recordações do seu amor generoso
Nas mensagens suas deixadas
Nas palavras de entusiasmo
Para que eu tornasse a lutar
E caminhar
No desejo de que eu fosse feliz
E no sentido que você deu à minha vida!


A paisagem
A vida é uma passagem
Cheia de subidas, contornos e descidas
A vida é uma paisagem
Como a brisa calma no amanhecer
E que tem a solidão no anoitecer
Tem marés e erupções
O calor do sol do meio dia
E o gelo do inverno
Tem sombra no final da tarde
E a paz da conquista
E realização



Um novo horizonte - RJ : CBJE - 2012


A alma do poeta
Ninguém entende
O coração do poeta
Os poetas compreendem a beleza
O infinito
A vida
E o amor com sua alma
Só quem tem dor
E mágoa
Pode entender os poetas
Só quem tem dor
E sofre muito
Pode ser poeta
A razão de existir deles é a poesia
Que o consola da dor
E da angústia de viver.


Uma voz
Ouço uma voz distante
Sua voz há muito perdida
Que vêm da sua infância
E juventude
Nesta casa grande e silenciosa
Ouço esta voz na sala e quartos vazios
Meu olhar triste vaga pelo quintal
Vê a sua imagem com seu jeito de ser
Os seus olhos brilhantes
O seu sorriso
Cai um orvalho no quintal
Ouço sua voz há muito perdida
Sinto você fortemente no meu coração
São apenas lembranças de você
E uma imensa saudade.


A rua de casa
Todos dormem em suas casas
A noite está azul-escura
Os postes de luz iluminam a rua
A luz repousa nos jardins tranquilos
Os grilos cantam na calçada
O guarda apita na rua
E faz a sua ronda por toda ela
Não vê ladrões e nada de estranho nela
Há vento e brisa na noite escura
Os eucaliptais estão em frente da minha casa
Não há nada na ruazinha
Ouço apenas os meus passos na noite
Entro sozinha na minha casa
Ouvindo o cachorro latir
Todos dormem em suas casas!



Meditações - RJ : CBJE - 2012


A fé
A fé
Dá sentido à vida
E à morte
A fé
Dá-nos a força
E esperança
Para superar as adversidades
De achar o caminho
Para o amor
A verdade
E iluminar o cotidiano
E nos leva à transcendência
E à eternidade.


Amar
Amar
É ir ao interior do outro
É querer o amado liberto
E não seduzi-lo
É dizer ao outro
Que ele é único
É querer o bem do amado
Antes mesmo que o seu bem
É tudo fazer para que o outro cresça
Tornando-se o que deveria ser
E não conforme a sua idealização
É oferecer-se ao outro
Que ainda não se ofertou
É perdoar
É acreditar
E confiar
Na vida nele oculta
É aceitar o sofrimento
Na partida
É viver o amor na ausência
E abrir-se ao amor infinito.


A busca
Deus, eu Te procuro
Busco-te em toda a parte
Na vida
Na alegria
Na dor
Na adversidade
No encontro com as pessoas
Nas virtudes
Na verdade da ciência
Na beleza da poesia
Continuo a buscar Deus
Bem no fundo do meu ser interior.



Expressão Poética - RJ : CBJE - 2012


A marca
Você me deixou o dom da poesia
E de amar
Você me deixou o gosto da poesia
A simplicidade
A singeleza
E o lirismo
Você me deixou o caráter
Você me deixou a base para a vida
Você me deixou tudo!


O canto das crianças
As crianças vão rodando de mãos dadas
E cantando cantigas de roda
Seu canto de amor
Que faz o mundo
E a vida mais alegre
E cheia de paz
Elas têm vários dons infantis
O amor que nasce no coração
A curiosidade
A imaginação
O espírito lúdico
O canto que faz a vida mais feliz
E que tornam os adultos mais humanos.


Vida breve
Você passou na minha vida brevemente
Como um raio de luz
Iluminando- a
E dando razão ao meu existir
Sentia-me alegre com a sua companhia
O meu amor é delicado
E terno por você
Você passou na minha vida como um sonho
Breve
E que fazia a minha existência feliz
Vivi momentos infinitos
E eternos com você.



Poemas Contemplativos - RJ : CBJE - 2012


A oração
Homem moderno
No ruído
Na desordem
No consumismo
Sem recolhimento
Ser humano precisa
De silêncio
De vida espiritual
De recolhimento interior
De paz
E de oração .

O caminho
Caminho
Para superar a solidão
A falta de sentido da existência
Os vazios existenciais
O individualismo
A competição
E o consumismo
Caminho
Para encontrar Deus na vida!

A plenitude
Gostaria de atingir o infinito
O absoluto
Mas tenho muitas imperfeições
E limites
Sofro uma angústia imensa
E dor com o relativo
A incompletude
E existência sem sentido
Faço uma oração com fervor
Para encher a alma de luz espiritual
E plenitude.


O Fluxo do Tempo - RJ: CBJE - 2013


Quando...
Quando iniciares o dia deprimido
Quando estiveres pessimista
Quando estiveres triste e amargo
E não vires mais beleza na vida
Quando perderes a fé nas virtudes
Nos amigos
E no amor
Então faça uma oração profunda
Para obter fé e esperança
E poder sorrir na vida !

O homem sem rumo
Tem a vida como a dos homens comuns
A sua vida não é boa
E nem ruim
Aceita a circunstância
A rotina
Não faz o destino
Não constrói a si
E ao mundo
Ele continua sem nada
Ele está perdido entre as coisas
Está em conflito com tudo
Tem muitas dúvidas
Angústias
E aceita quase tudo
Massificado
Padronizado
Sem idealismo
E sem imaginação.

A rosa
A vida é tão breve
Frágil
Para viver um amor tão delicado.
Precisa-se construir a si
E a relação a dois
Para viver então esse sentimento plenamente.
O amor é como uma rosa
Que recebe a luz e o calor do sol
E água todos os dias
Para crescer
E amadurecer
E poder sentir a felicidade do amor
E obter o êxtase!


Além do Cotidiano - RJ:L CBJE - 2013


A preparação
Amar é bom
E leva á felicidade
O amor é difícil
Talvez seja o sentimento mais difícil da vida
Tudo é preparação para o amor
O jovem quase não é capaz de amar
O jovem quase não sabe amar
O jovem precisa aprender a amar
Ele prepara-se para viver o amor
Precisa-se de um tempo longo para amar
Amar é dedicar
E se unir ao outro
Amar é ser feliz
E obter o êxtase.

A construção
Construa a ti
A tua vida
E atua no mundo
Cresça o amor em ti
Desenvolva o amor em ti
Cresça sempre
Construa a ti no tempo infinito
Seja exemplo para as novas gerações
Seja consolo para os que sofrem
E os desamparados
Seja grandioso na solidariedade
E cresces no amor no tempo sem fim
Para criar luz
Calor
E energia a todos.

Vale a vida
Vale a vida
Por viver simplesmente
Que é um milagre
Vale a vida
Por amar densamente
Por ter sonhos
E projetos infindos na vida
Por querer mais ser na vida
Do que ter
Vale a vida
Por encontrar o absoluto
Por poder sorrir
Por ter paz no meu interior
Vale a vida
Por ter a sua companhia!



O verão daquele ano - RJ: CBJE - 2013


O ser que não escuta
Os homens não escutam o outro
Os homens estão distraídos
E ausentes
E não querem escutar o outro
Eles olham somente para si
E seus afazeres
E não enxergam o outro
Eles estão centrados nos seus interesses
E seus afazeres
Não veem
E não escutam o outro
São egoístas
E só veem a sua vida.

Alma serena
Ao caminhar na vida
Que eu tenha projetos novos
Que eu tenha boas e novas experiências
Que tenha imaginação
E possa criar
E amar
E que na dor
E nos sofrimentos
Na adversidade
E nas horas tristes tenha fé
Esperança
E paz
E que minha alma se mantenha forte
Serena
E em equilíbrio.

Quase
Ser que é quase ausente da beleza
E da poesia na existência
Quase não tem imaginação
Criatividade
Individualidade
E interesses
Ser massificado
Ser tipificado
Gosto padronizado
Sem sensibilidade
E vida espiritual
Ser que não vê quase a beleza
Da poesia
E do lirismo na vida!


Versos Líricos - RJ: CBJE - 2013


Seguir a vida
Siga o seu caminho
Siga a sua vida
Não quero mais amar você
O nosso amor não pode ser vivido
Devemos estar longe um do outro
Siga o seu caminho
E viva o amor com outra
O nosso amor ficou proibido
E errado
E desacertado entre nós
Porque você assim o quis
Siga a sua vida

A perfeição
Amor é revelação
Revela a beleza
O bem
A virtude
A justiça
Amor é o êxtase
O êxtase da beleza
Do bem
Da virtude
E o êxtase da perfeição.

Outrora
Eu havia perdido você
O tempo passou
Mas ainda a quero
Como no passado
Mas ainda a amo
De você quero tudo
A perfeição
A beleza
O amor
E a realização do sonho
Ainda a quero
Como outrora
Quando a conheci.



A Manhã daquele Dia - RJ : CBJE - 2013


A mala velha
Procuro na mala velha
Que está no sótão
O amor
A saudade
A felicidade
A flor que não murcha
O seu retrato
As velhas cartas de amor
Os velhos poemas de amor
Procuro uma canção na velha mala
Que está no sótão.

Apenas
Basta a sua existência
Não preciso tê-lo
Basta a sua lembrança
As suas palavras
E boas atitudes
Para eu ser feliz
Ter esperança na vida
E energia para prosseguir
Amenizar a saudade
E dar rumo
E norte ao meu existir
Basta a sua existência
Não preciso tê-lo
Basta a sua lembrança
De momentos breves de felicidade
Para eu ser feliz!

Tempo presente
Que tempo são os de hoje?
Cheios de guerra
Ódio
Violência
Competição
Individualismo
Sem espaço para o amor
E as pessoas não sabem amar
Serem cooperativas
Fraternas
E solidárias
Que tempos são os de hoje
Que as pessoas não aprendem a amar?


A Casa da Rua XV - RJ: CBJE - 2014


Sempre ao meu lado
Sempre estiveste ao meu lado
O teu carinho tu me deste
Via-te sempre generosa
Dava-me um afeto simples
Sempre me sustivestes
O teu cuidado tu me deste
Quando estava desalentada na infância
E juventude
Sempre na minha companhia
Segurando as minhas mãos
E íamos à missa
No convento às cinco da manhã
Sempre ao meu lado
Com o seu amor e afeto.


A herança
Você me deixou
Um caderno velho amarelecido
Cheio de poesias feitas por você
Apenas isso você me deixou
O gosto da poesia
A singeleza
A simplicidade
E o lirismo
Cresci lendo este caderno velho
Em toda minha infância
Você me deixou este caderno antigo
Apenas isso você me deu
A paixão pela poesia
E o lirismo
Apenas isso você me deixou


A colcha de crochê
Aquela colcha de crochê que tu fazias
Com rosáceas de cor cinza
Ou de cor bege
Que belas obras tu criavas
Para mim quando era moça
Para usá-la quando me casasse
Para usá-la em dias de festa
As colchas de crochê agora são lembranças de ti
Aquela colcha de crochê que tu fazias
Pensando em mim
E tu a fazias orando para que eu tivesse felicidade na vida
São elas agora a grande recordação de ti
Depois que muitos anos se passaram...



O ypê-roxo no jardim - RJ:CBJE - 2015


O encontro
Encontro o meu caminho
O meu interior e a minha alma
Vejo a natureza: o riacho que corre
E o sabiá que canta
Eu sinto a alma
Encontro o silêncio
A música toca a minha alma
A leitura faz bem ao meu interior
Vejo luzes, caminhos e contornos.
Sinto em mim as palavras
E as pessoas que amo
Que tocam o fundo de minha alma
E sinto-me em êxtase
E sinto no silêncio Deus.

A afinidade
Perdeu a sua alma
Alma vazia
Alma fria
E desagradável
No encontro entre pessoas
Pode-se encontrar alguém
Que irradia a luz
Olha-se para o seu rosto
Pode haver contato com ele
E pode haver a afinidade
Amor
E diálogo
Podemos nos expressar
Através de nós próprios
E daquilo que criamos.

O amor eterno
Não me interessa
O calor do sol
Tenho uma fonte
Que me ilumina
Dentro de mim
Não me interessa a neblina
Ou a chama
Só tenho a força da vida
Dentro de mim
Só interessa-me o amor eterno
Que sinto dentro de mim
Não me interessa o amor casual
E supérfluo
Quero a eternidade no amor!



Tempo Presente - RJ:CBJE - 2015


Tempo Presente
Que tempo são os de hoje ?
Cheios de guerra
Ódio
Violência
Competição
Individualismo
Sem espaço para o amor
E as pessoas não sabem amar
Serem cooperativas
Fraternas
E solidárias
Que tempos são os de hoje ?
Que as pessoas não aprendem a amar ?

A luta
Batalha
Para não viver como uma máquina
Ter lazer de consumo
Consumir
E ser objeto de consumo
Para não ser alienada
De si
E do mundo
Lutar
Para ser sensível
Crítica
Criativa
Idealista
E alcançar a plenitude.

Máscaras
Defesas
Sem mostrar o que sente
E o que pensa
Sem diálogo
Restrito
Não mostra o que quer
Falta de comunicação
Máscara social
Relações baseadas nos papéis sociais
Frias
Sem espontaneidade
Rede social
Tipificação social
Sem originalidade
E individualidade.



Poemas Contemplativos - RJ : CBJE - 2015


La búsqueda del absoluto
Dejar de lado lo particular
La circunstancia
Lo pasajero
Lo desechable
Lo relativo
Y asumir lo universal
El ser humano vive la angustia profunda
De la busca del absoluto
Del ideal de la perfección
De la liberación del nada
Del encuentro con el Todo
Que lleva a la verdadera felicidad.

La oración
Hombre Moderno
En el ruido
En el desorden
En el consumismo
Sin recogimiento
Ser humano necesita
De silencio
De vida espiritual
De recogimiento interior
De paz
Y de oración.

La gracia
En el silencio
En la soledad
Leo libros con dedicación
Para buscar un camino
La verdad
Mi alma tiene un gran dolor
Y sufrimiento
Mis ojos se llenan de lágrimas
Hago una oración para obtener una gracia
La gracia de un milagro


La mañana de aquel dia - RJ : CBJE - 2015


La vieja maleta
Busco en la vieja maleta
Que está en el desván
El amor
La nostalgia
La felicidad
La flor que no se marchita
Su retrato
Las viejas cartas de amor
Los viejos poemas de amor
Busco una canción en la vieja maleta
Que está en el desván.

Apenas
Basta su existencia
No necesito tenerlo
Basta su recuerdo
Sus palabras
Y actitudes buenas
Para que yo sea feliz
Tener esperanza en la vida
Y energía para continuar
Aliviar la nostalgia y dar rumbo
Y norte a mi existir
Basta su existencia
No necesito tenerlo
Basta su recuerdo
De fugaces momentos de felicidad
¡Para que yo sea feliz!

Tiempo actual
¿Qué tiempo son los de hoy?
Llenos de guerra
Odio
Violencia
Competición
Individualismo
Sin espacio para el amor
Y la gente no sabe amar
Ser Cooperativa
Fraternal
Y solidaria
¿Qué tiempos son los de hoy
Que las personas no aprenden a amar?



That day morning - RJ : CBJE - 2015


The old suitcase
I look in the old suitcase
That is in the attic for
Love
Longing
Happiness
The flower that does not wither
Your portrait
Old love letters
Old love poems
I look for a song in the old suitcase
That is in the attic.

Enough
Our existence is enough
I don't need to have you
Your memory is enough
Your words
And good attitudes
For me to be happy
To have hope in life
And energy to carry on
To ease the longing
And give direction
To my existence
Your existence is enough
I don't need to have you
It is enough your memory of
Brief moments of happiness
For me to be happy!

Present time
What kind of time do we live today?
Full of war
Hate
Violence
Competition
Individualism
No space for love
And people don't know how to love
How to be cooperative
Fraternal
And solidary
What kind of time do we live today
When people do not learn how to love?


Ce matin-là - RJ : CBJE - 2015


La vieille valise 
Je cherche dans la vieille valise
Qui se trouve au grenier
L´amour
La nostalgie
Le bonheur,
La fleur qui jamais ne se fane,
Ton portrait
Les vieilles lettres d´amour
Les vieux poèmes d´amour
Je cherche une chanson dans la vieille valise
Qui se trouve au grenier.

A peine...
Ton existence suffit
Je n´ai pas besoin de t´avoir
Ton souvenir suffit
Tes mots
Et bonnes manières
Pour que je sois heureuse
Avoir espoir en la vie
Et l´énergie pour avancer
Atténuer la nostalgie
Et donner un sens à mon existence
Il suffit que tu existe
Je n´ai pas besoin de t´avoir
Il suffit de ton souvenir
Des brefs instants de bonheur
Pour me rendre heureuse

Temps présents
Quels sont ces temps nouveaux
Faits de guerres
De haine
De violence
De compétition
D´individualisme
Sans espace pour l´amour
Et les personnes ne savent plus aimer
Ni être coopératives
Fraternelles
Et solidaires
Quels sont ces temps nouveaux
Où les personnes n´ont pas appris à aimer ?


La Mattina di quel giorno - RJ:CBJE - 2016


La valigia vecchia
Cerco nella valigia vecchia
Che sta in soffitta
L’amore
La nostalgia
La felicità
Il fiore che non appassisce
Il tuo ritratto
Le vecchie lettere d'amore
Le vecchie poesie d'amore
Cerco uma canzone nella vecchia valigia
Che sta in soffitta

Appena
Basta la tua esistenza
Non ho alcun bisogno di averti
Basta il tuo ricordo
Le tue parole
E le buone attitudini
Per essere felice
Aver speranza nella vita
E energia per proseguire
Alleviare la nostalgia
E dare una direzione
E un senso al mio esistere
Basta la tua esistenza
Non ho alcun bisogno di averti
Basta il tuo ricordo
Dei momenti brevi di felicità
Per essere felice!

Tempo presente
Che tempi son quelli di oggi?
Pieni di guerra
Odio
Violenza
Competizione
Individualismo
Senza spazio per l'amore
E le persone non sanno amare
Essere cooperative
Fraterne
E solidali
Che tempi son quelli di oggi
Che le persone non imparano ad amare?